A Unidade de Saúde da Família de Nazaré, no dIstrito sanitário Oeste, realizou esta semana, uma ação de promoção e educação em saúde interdisciplinar realizada com uma média de 60 adolescentes das turmas de 1º ano A e B, matutino, da Escola Estadual Soldado Luiz Gonzaga, iniciando com uma dinâmica seguida de uma roda de conversa sobre sofrimento e relacionamento.  

 

 

Os encontros vêm sendo realizados mensalmente, pelo Núcleo Ampliado de Saúde da Família (Nasf) Nazaré, Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Nazaré, residentes do Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol) e estagiários do curso de Psicologia. O objetivo é promover espaço de cuidado em saúde mental, mediante as demandas apontadas pela coordenação pedagógica que indicam vários casos de intenso sofrimento mental.

 

 

MAIS

Na quinta-feira (29/08), a USF de Nazaré, também com o apoio do Nasf Nazaré e a Residência do Huol, realizou mais uma ação de promoção e educação em saúde com os 30 funcionários da empresa de transporte Nordeste, com intenção melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. A ação contou com aferição de pressão arterial, glicemia, orientações de cuidados diários para evitar surgimento de doenças crônicas, hábitos de vida saudáveis, testes rápidos de HIV/Sífilis e uma roda de conversa sobre a importância de uma prática diária de alongamentos e ansiedade, exercícios físicos e distribuição de folder informativo acerca das tensões musculares, entre outros assuntos. 

 

 

Ainda na manhã da quinta-feira, a Unidade reuniu o Grupo de Autocuidado - composto por cidadãos com doenças crônicas - para apresentá-lo às PICs (Práticas Integrativas e Complementares), que são terapias alternativas e validadas para a complementação do cuidado integral do paciente. Existem cerca de 30 tipos de PICs disponíveis no SUS, e apesar de não substituírem as terapias tradicionais (medicamentosa, dietética, mudança do estilo de vida), quando associadas trazem uma melhor resposta, principalmente nas demandas de saúde mental, como ansiedade, e reduzindo o estresse.

 

 

Os pacientes puderam experimentar um pouco da aromaterapia, musicoterapia, massoterapia, auriculoterapia, escalda-pés, além de participarem de técnicas de respiração e relaxamento. O feedback dos participantes foi superpositivo, pois mostrou que muitas das práticas podem ser realizadas em casa e com materiais acessíveis.